O que deseja senhor ?



Agências bancárias são legais não são? Mentira. É uma bosta. Mas parece que tem gente que se diverte com isso. Existem pessoas que transparecem que foram projetadas para irem ao Banco, elas se amarram com a idéia, você nota quando elas entram naquela porta, na cara delas, parece que elas estão entrando em outro mundo, são personagens que sem dúvida você sempre encontrará pelo menos um na agência, chego a pensar que os gerentes bancários pagam para eles estarem lá. Estereotipados.


Tem o Office boy, esse que com certeza, além do mais, é sua função típica, sempre está lá, você percebe que chegou a um Banco por ele, ele é o último da fila e insiste sempre em conversar com seus amigos 1º e 3º da fila, gritando, acho que ele quer tentar mostrar que está habituado com o Banco, é como se ele estivesse em casa, ou na quadra da escola, ele acha isso bonito, se sente confiante, se mete a escutar conversa dos outros e a resolver todos os problemas em relação a movimentações bancárias. É uma espécie de PHD em fila de Banco.

Tem as madames, que com suas inteligências extraordinárias, esquecem que aquele acessório que elas usam no rosto, chamado “óculos de sol”, é para se usar ao sol e não em ambientes fechados. Daí elas entram, desfilando, jogam o cabelo, sacodem suas 86 pulseiras no braço e sabe qual a primeira coisa que elas fazem? (depois disso tudo é claro), metem a mão na bolsa e puxam o sua ferramenta "maior" de charme, o celular! Aí meu filho; é a voz delas, e o Office boy falando sobre roda de carro.

E os idosos. Gosto de conversar com pessoas mais velhas ás vezes, escutar histórias, “papo de tiozão”. Também não tenho nada contra ao atendimento prioritário deles na fila, é um direito adquirido e concordo, embora pareça que sempre tem um ancião escondido, em meio aos assentos, com o jornal tampando o rosto a minha espera. Pois bem, o que me intriga são quando eles vão receber a aposentadoria, cheios de anseios e medos, e chegam à agência 06:00 hs da manhã quando o Banco só abre as 10:00 hs, e se arriscam a baterem boca com os famosos “Posso te Ajudar?” alegando falta de respeito com eles que estão ali desde cedo e ninguém para atende-los, e quando o dinheiro não caiu na conta ainda, eles olham desconfiados para os funcionários do Banco e arriscam frases indiretas, em voz baixa como; “esse povo só sabe roubar” ou “ além de sem educação roubam a gente”.


E os famosos “Posso te Ajudar?” , que ninguém nunca os encontra, restando para nós jovens, com “cara de futuro da humanidade”, sermos solicitados para fazer-mos todo o tipo de serviço no caixa eletrônico por pessoas que tem algum litígio ou inexperiência com tal máquina.


Ah! Já ia me esquecendo dos pseudo-culturais, esses são engraçados, alguns são até inteligentes, porém estragam sua imagem portando livros, com títulos sugestivos, para tentar criar uma imagem de intelectual, na maioria das vezes querem transparecer que no meio de toda essa bagunça, das ruas, cidade e do Banco eles não são pessoas qualquer, eles tem cultura, glamour, alto nível, se preocupam com causas ecológicas e temas populares cheios de “na minha opinião”, acumulando chavões e frases feitas achando que suas declarações sobre tal assunto são inéditas (como diria Kéis).


E o que eu faço quando não tenho outra opção, como ir a um banco-fácil na farmácia ou coisa do gênero? Estou sempre munido de um bom e alto fone de ouvido que me ausência do mundo em minha volta, fazendo tudo isso ficar engraçado.

Postado por : Arnaldo Júnior Cabelo

O que deseja senhor ? Arnaldo Júnior Cabelo sábado, 17 de outubro de 2009. 0 O que deseja senhor ?
 

0 comentários: