Diálogo sobre manobras do amor (que pode ser cantado pra saudade em Lá Menor com Sol)



Bem, é lamentável ler suas lamentações amorosas.Vejo que você precisa de um acompanhamento sério de um garçom e de um balcão, e não de um blog.Quero lembrar á você meu caro, que computador não é lugar de "gastar" a bebida que você toma na rua, sei que você vai dizer que poucos "post's" foram escritos sobre o efeito de álcool, eu sei disso, mais é meu dever encher seu saco nesse texto.Não, não me venha com seus trocadilhos sem graça por eu estar falando de mim na terceira pessoa.Fico aqui pensando qual seria sua próxima resenha, mais artigos idiotas sobre coisas que ninguém liga??? não seja uma mula meu rapaz, o povo quer saber de pornografia, musica grátis, fenômenos hypes, BBB, a próxima micareta, malhação, nxzero e strike.Acorda!!! Essa coisa careta de amor não existe, ser romântico é coisa de povo moralista que parou no tempo!!A onda agora é colocar xifre, iludir as pessoas sabe, daquele tipo ; “-A eu te amo meu bb...” e depois virar numa boa, friamente, mais com muita tranqüilidade e dizer “ –Sabe, já faz um tempo que ando pensando, eu to meio assim, em dúvida se gosto mesmo de você, meio com medo de se apegar á alguém...” .É meu caro Arnaldo Júnior, vou te contar um segredinho...não se realmente a culpa é por esse lado,mas essa coisa de o amor se tornar démodé??É fruto daquele negócio; “Te amo miguxo!!” “Te amo miguxa”, “Amooooo¹ ² ³” que você vê em depoimentos de orkuts, diarinhos de escola e outras coisas que a rapaziada vê na televisão e na internet, essa febre do eu te amo pra cá, e eu te amo pra lá, banalizou o amor, se tornou uma coisa habitual, como um singelo “bom dia”, “boa tarde”, isso faz com que as pessoas não sintam mais a mesma intensidade de tempos remotos, talvez nem tão remotos assim.As pessoas aprenderam com o mundo e suas novelas, sua televisão, sua internet, á desconhecer o poder de uma simples frase ou de falas, quantas vezes e vo te contar, já tava na hora em, oô coisinha de mané essa coisa de amar alguém de verdade, isso não existe é folclore!!
O amor de hoje já vem com defeito de fábrica, em um casal; um sempre ama mais e o outro ama menos, sendo assim um vai deixar de amar primeiro, quer dizer, sabe aquela coisa de um demonstrar mais do que o outro é disso que eu falo, isso faz com que quando um parceiro está entrando no ápice do seu amor pela parceira, ela já esteja saindo de cena, causando assim aquela sensação que só se dar valor quando se perde.As mulheres hoje em dia meu caro Arnaldo, elas não querem ser conquistadas elas querem ser saciadas em sua volúpia.Elas te usam, elas forjam pseudônimos carinhosos (amor,bem, neném...) que são ditos repetidamente quando estão juntos, para ir consolando um fim trágico que o espera.Eu sei, você também vai falar que eu sou um mal amado e despeitado, então me diga se no final do relacionamento, na hora do “tempo” se ela vai te chamar de “ bebezinho ”. - É talvez tenha razão..mulheres, elas insistem em dizer que nunca nos entende, mas quando elas nos perguntam o que nós achamos da roupa que ela está usando ela pensa em mil respostas e a sua nunca é uma dessas, há não ser quando nós mentimos.Mulheres são em vários tipos, se é que eu posso usar esse termo “tipo” sem nenhuma feminista me processar, existem de todas as formas, magras, fofas, gordas, “secas”, melancias, moranguinhos e melões.Para se escrever algo generalizando elas apresenta-se uma extraordinária dificuldade, sem contar que você se implicará por conta dos argumentos de defesa delas.Eu escrevo sobre elas geralmente me baseando em minhas experiências com tais, mais ando reparando na bagunça que virou gostar de alguém, mais por enquanto eu vou me espelhar em uma velha história do Mario Quintana, que uma bela garota me mostrou um dia, sobre; “O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você”, se funciona não sei, até lá vivo de nostalgias amorosas...
 

3 comentários:

Cora disse... | 15 de agosto de 2008 09:38

Continue sempre com suas "manobras de amor"...rssrs
Faça um "bunda lelê" para os que falam sobre como deve ser o amor.. esses na realidade não sabem nada sobre ele. São fúteis por dentro e por fora!

Bjo!
Saudades..

Constance disse... | 27 de agosto de 2008 07:55

Gostei, gostei muito!

Gustavo disse... | 9 de setembro de 2009 05:16

É desse jeito mesmo!